(86) 3222-2406 | (86) 3235-7877

Serviços


Implantodontia

Implantes dentários são parafusos de titânio que, colocados dentro dos ossos maxilares, funcionam para a fixação de diferentes tipos de próteses dentárias. Substituem um único dente, vários ou, até mesmo, todos os dentes. Costuma-se confundir implantes com próteses fixas; na verdade, implantes servem para substituir as raízes dos dentes, em situações de perda ou impossibilidade de aproveitamento das mesmas.

Odontogeriatria

É uma especialização da Odontologia que cuida da saúde bucal de idosos, prevenindo e tratando os problemas comuns a essa faixa etária. Trata-se de uma nova especialidade odontológica.


  • 811d5cba14c4185c766d64e6da9b3366

    Implantodontia

    Implantes dentários são parafusos de titânio que, colocados dentro dos ossos maxilares, funcionam para a fixação de diferentes tipos de próteses dentárias. Substituem um único dente, vários ou, até mesmo, todos os dentes. Costuma-se confundir implantes com próteses fixas; na verdade, implantes servem para substituir as raízes dos dentes, em situações de perda ou impossibilidade de aproveitamento das mesmas.

     

    PERGUNTAS E RESPOSTAS sobre implantes dentários

    1 – O que são implantes dentários osseointegráveis?

    São parafusos confeccionados em titânio puro que podem ser colocados dentro dos ossos maxilares.

     

    2 – O que é implante de carga imediata?

    É a técnica pela qual se colocam próteses imediatamente após a cirurgia ou poucos dias depois da instalação do implante. Este diagnóstico é feito após uma RIGOROSA avaliação e estudo do caso clínico.

     

    3 – Posso fazer a prótese definitiva no mesmo dia da cirurgia?

    Sim, em determinados casos. Trata-se do implante de carga imediata. Nestas situações as condições são favoráveis para a instalação da prótese, que é confeccionada no mesmo dia ou em poucos dias após cirurgia.

     

    4 – Existe o risco de rejeição?

    Não! O implante dentário é feito com titânio, um material biocompatível, portanto não é rejeitado pelo organismo. O que pode acontecer em raros casos é o insucesso por falha na união do implante com o osso.

     

    5 – Um implante que não deu certo pode ser refeito?

    Modernamente, até implantes perdidos têm solução. O sucesso dos implantes anda em torno de 95% a 98%. E isto faz da Implantodontia um procedimento cada vez mais seguro.

     

    6 – A falta de dentes pode me prejudicar?

    • Sim. Porque trazem:
    • Um desequilíbrio da mordida e da musculatura das regiões vizinhas;
    • Perda estética;
    • Aspecto de envelhecimento;
    • Problemas de mastigação;
    • Dores na região da articulação dos maxilares.

     

    7 – O que causa a perda do dente? 

    • Cáries (maioria dos casos)
    • Problemas na gengiva

     

    8 – O tratamento com implante dentário é superior às próteses convencionais?

    Sim. O implante oferece diversas vantagens em relação a qualquer outro tipo de tratamento. É importante que cada situação seja avaliada e discutida com um implantodontista porque a diversidade de casos impede uma regra geral.

     

    9 – O implante só é colocado após ter perdido o dente?

    Não. Em casos como fratura de raiz e doença periodontal, o dente por ser extraído e em seguida colocado o implante.

     

    10 – Quanto tempo devo esperar para fazer a cirurgia depois que perdi um dente?

    Na mesma sessão da extração do dente. Porém, em alguns casos é necessário a enxertia óssea prévia.

     

    11 – O que é doença periodontal?

    É o comprometimento dos tecidos de sustentação dos dentes e que leva à reabsorção do osso que está ao redor de suas raízes.


    12 – Dói muito para colocar os implantes?

    Não. Todos os procedimentos são realizados sob efeito de anestésicos locais. A sedação via oral ou intravenosa pode ser realizada por um médico anestesista. Durante o período pós-cirúrgico, o paciente deve seguir as orientações do dentista tomando analgésicos e anti-inflamatórios.

     

    13 – O que é enxerto ósseo?

    É repor o osso perdido, através de cirurgias para a colocação do enxerto ósseo. Os enxertos podem ser feitos previamente ou na mesma sessão da colocação do implante.

     

    14 – Mesmo não tendo osso suficiente é possível colocar um implante?

    Com várias técnicas existentes hoje, o enxerto ósseo pode ser adicionado a estas áreas deficientes.

     

    15 – O paciente deve ficar desdentado durante o período de osseointegração?

    Não. Salvo em raras exceções, todos os pacientes receberão próteses provisórias para que continuem realizando suas atividades de convívio social.

     

    16 – Como é o pós-operatório?

    Em cirurgias simples de um ou dois implantes o pós-operatório é nulo ou de pequena sensibilidade. Em cirurgias maiores pode haver pequena sensibilidade na região. Tomando-se a medicação analgésica e anti-inflamatória prescrita pelo implantodontista geralmente não há dor.

     

    17 – Quanto tempo leva uma cirurgia para colocação de implantes?

    Pode variar de acordo com a complexidade do caso, quantidade de implantes e a necessidade de procedimentos adicionais, como os enxertos.

     

    18 – Em relação à capacidade de mastigação, vai melhorar após a colocação de implantes?

    Os implantes apresentam resultados funcionais muito superiores aos obtidos por dentaduras e próteses removíveis.

     

    19 – Eu tenho que fazer algum tipo de manutenção após o tratamento de implantes?

    Aconselha-se fazer um controle clínico e radiográfico a cada 6 meses para uma higienização tanto da prótese como dos implantes.

     

    20 – O que é Day Clinic?

    Day Clinic é um sistema de internação por curto espaço de tempo para um tratamento odontológico intensivo.

    As vantagens deste sistema são:

    • O retorno rápido para a comodidade do lar
    • Velocidade do tratamento.
    • A entrada e a alta ocorrem no mesmo dia.
    • Agilidade

     

  • Odontogeriatria

    Odontogeriatria

    É uma especialização da Odontologia que cuida da saúde bucal de idosos, prevenindo e tratando os problemas comuns a essa faixa etária. Trata-se de uma nova especialidade odontológica. A sua existência atual se deve principalmente a dois fatos: primeiro o número de idosos aumentou muito (diversos fatores tais como a medicina moderna e a prevenção aumentaram muito a sobrevida da população); e, em segundo lugar, os idosos têm mais dentes.

     

    Perguntas frequentes sobre tratamento odontológico em idosos.

    1 –  Quais as particularidades do paciente geriátrico?

    • Algumas deficiências crônicas
    • Alteração auditiva
    • Catarata
    • Deficiência ortopédica
    • Zumbidos
    • Deficiência visual
    • Glaucoma
    • Medo do cirurgião-dentista,
    •  Muitos têm instabilidade de postura
    •  Mobilidade comprometida e dependem de cadeiras de rodas, bengalas, apoio de terceiros para caminhar, ou simplesmente não andam mais.
    • Depressão
    • Perda da memória
    • Estresse, aterosclerose
    • Incontinência Urinária
    • Alergias
    • Anemia
    • Lesões da mucosa bucal.

    2 – O tratamento do idoso é igual ao da população em geral?

    Não. Deve-se levar em conta as deficiências/alterações da saúde do idoso, uma vez que foi constatado que o paciente geriátrico que possui algum grau de dependência, também tem uma deficiência na higiene oral, tendendo a apresentar mais problemas envolvendo a saúde bucal. Além disso, exige uma interação maior entre o dentista e o médico.

     

    3 –  Manter os dentes naturais é importante?

    Sim. Pesquisas comprovam que pessoas que mantém seus dentes naturais o máximo possível vivem mais e com melhor qualidade.
    Implantes, porém, podem ser uma ótima opção quando os dentes ou próteses presentes não estão em boas condições para suportar próteses.

     

    4 –  Quais os problemas mais sérios que a perda dos dentes naturais trazem?

    • Um desequilíbrio da mordida e da musculatura das regiões vizinhas;
    • Perda estética;
    • Aspecto de envelhecimento;
    • Problemas de mastigação;
    • Dores na região da articulação dos maxilares.

     

    5 –  Qual o perfil do Odontogeriatra?

    São cirurgiões-dentistas com formação específica para entender o processo de envelhecimento humano como um todo, em aspectos psicológicos, sociais, econômicos, da área de saúde e até educacionais. Odontogeriatras também fazem parte de equipes interdisciplinares de atendimento ao idoso.

     

    6 –  Qual a objetivo do odontogeriatra?

    • Manter ou recuperar a saúde bucal do idoso, devolvendo-lhe a capacidade de mastigação satisfatória e garantindo-lhe uma vida com maior qualidade e longevidade.
    • Divulgar a informação preventiva.
    • Buscar integração entre os profissionais da área de saúde no controle de doenças crônicas, como diabetes e hipertensão.
    • Assegurar ao idoso a capacidade de falar, sorrir e alimentar-se, garantindo sua dignidade dentro do seu círculo social, profissional e familiar, afastando-o, dessa forma, da depressão, tão comum nesta faixa etária.

     

    7 –  Desde quando existe esta especialidade (Odontogeriatria) no Brasil?

     Oficialmente, desde 2001, quando foi reconhecida como uma especialidade odontológica pelo Conselho Federal de Odontologia.

     

    8 –  O que pode ser feito para melhorar a qualidade da saúde bucal e da mastigação na terceira idade?

    Manter saudáveis os dentes naturais que ainda estiverem presentes na boca, assim como fazer a manutenção das próteses para que permaneçam com uma boa adaptação.

     

    9 –  Vale alertar para os cuidados com próteses dentárias, não é?

    Sim. Um profissional capacitado deve fazer a revisão da prótese todos os anos, para ver como estar sua adaptação e indicar ou não os necessários reembasamentos. Também, estas visitas servem para ver as condições gerais e se existe sinal precoce de lesões na boca, muito frequentes nesta faixa etária e que devem ser tratadas/ diagnosticadas com rapidez. NENHUMA PRÓTESE É ETERNA. Todas precisam ser verificadas regulamente.

     

    10 – O acompanhamento médico é necessário sempre com os pacientes idosos?

    Ele é necessário em alguns casos, mas não na maioria deles. Entretanto, não é sempre preciso o médico estar ao lado do dentista e do paciente (ou num hospital). É necessário, sim, de DIÁLOGO entre TODOS que cuidam do idoso.

     

    11 – Tem idade limite para colocação de implantes dentários?

    Não. Depende exclusivamente da saúde geral do paciente. Cita-se, como exemplo, Dona Zilda Nogueira Rebêlo, que aos 94 anos submeteu-se a cirurgia de colocação de implantes dentários com o Dr. Ronaldo Neiva. Atualmente está com 96 anos e é considerada a paciente mais idosa do Brasil a realizar este tipo de tratamento.